Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rostos Santacombadenses

... dar voz aos filhos de Santa Comba Dão!

Rostos Santacombadenses

... dar voz aos filhos de Santa Comba Dão!

Família Ayres d'Almeida

família ayres d'almeida.jpg

Ayres d’Almeida nasceu em Santa Comba Dão, em 25 de Abril de 1892, filho de Joaquim d’Almeida e de Maria da Conceição, tendo falecido, aqui também nesta localidade, em 10 de Novembro de 1959.
Casou com Esther Correia de Carvalho, natural de Vilar, Castanheira de Pera, onde nasceu em 22 de Julho de 1898, filha de Manuel Carvalho e de Elisa Augusta Correia, tendo falecido em Santa Comba Dão, em 19 de Dezembro de 1982.
Em 5 de Junho de 1928 nasceu a filha única do casal, Maria Hermínia Correia de Almeida, que casou com Fernando César Correia Pinto e faleceu, entretanto, em 15 de Novembro de 2010.
Ayres d’Almeida foi um comerciante de mérito; tendo-se iniciado na actividade comercial como empregado em Coimbra, fundou em 24 de Agosto de 1918 o estabelecimento comercial conhecido com o seu nome (“Casa Ayres d’Almeida”), em Santa Comba Dão, na Rua Mouzinho de Albuquerque e no Largo do Balcão, constituído por lojas de venda de “fazendas, modas, malhas, calçado, chapéus, perfumarias, mobílias, colchoarias e tapetes”. O edifício situado no referido largo veio a ser demolido com a abertura da actual Avenida Humberto Delgado.
Em 21 de Maio de 1945 inaugurou as duas lojas (fazendas e móveis) onde o estabelecimento ainda hoje funciona, na Rua Mouzinho de Albuquerque, situando-se a loja de fazendas, modas e malhas no edifício da sua casa de habitação.
A inauguração das novas instalações foi noticiada em jornais locais, nas edições de 20 de Maio de 1945 do “Beira Dão” e do “Defesa da Beira”, onde então se escreveu: «Este nosso conterrâneo, que devido às suas qualidades de trabalho e de inteligência se conta entre os comerciantes mais categorizados deste concelho, inaugura amanhã as novas instalações do seu comércio de fazendas, calçado, miudezas, etc. Já tivemos ocasião de ver o novo estabelecimento, e manda a verdade que se diga que à sua montagem presidiu acentuado e harmonioso bom gosto. Pode mesmo dizer-se que poucas cidades da província terão estabelecimentos tão bem instalados como o Aires d’Almeida agora apresenta o seu (…)».
A inauguração do novo estabelecimento foi igualmente notícia na edição de 28 de Maio de 1945 do “Diário de Coimbra”, onde, sob o título “O Comércio Local Progride”, se escreveu: «Na passada segunda-feira foram abertos ao público os novos estabelecimentos do sr. Aires de Almeida, conceituado e antigo comerciante da nossa praça, que ao desenvolvimento do comércio da nossa terra tem dado o melhor do seu esforço. Instalados em esplêndidas dependências da sua casa de habitação, estes modernos estabelecimentos ficam a rivalizar com o melhor que há no distrito, não só no que respeita ao sortido escolhido e exposto, como também ao fino gosto que há na apresentação do mesmo, de maneira a prender a atenção da sua larga clientela (…), desejando ao incansável comerciante as maiores prosperidades que bem merece pelo seu empreendimento arrojado e inteligente (…)».
Ayres d’Almeida foi também uma pessoa empenhada em causas sociais na sua terra, salientando-se que, no período compreendido entre 1945 e 1958, integrou – juntamente com Domingos da Costa Cerveira do Amaral, Manuel de Matos da Costa e Pedro de Matos Lourenço – a Comissão Administrativa que geriu a Santa Casa da Misericórdia de Santa Comba Dão; nesse período concretizou-se a fundação do Hospital.
Após o seu falecimento, manteve-se à frente do estabelecimento a esposa, Dona Esther, durante mais de vinte anos e até à data da sua morte, bem como o genro, Fernando César Correia Pinto e, alguns anos mais tarde, o neto, Aires de Almeida Correia Pinto, continuando estes a assegurar, actualmente, a actividade do estabelecimento.

... resenha enviada por Joaquim Correia Pinto

Família Ayres d'Almeida no facebook